Rumo a melhores sistemas de competências

O Índice Europeu de Competências (European Skills Index, ESI) de 2020 está disponível no site do Cedefop. Esta edição, com dados atualizados, indica as melhorias ocorridas nos sistemas de competências desde a sua edição em 2018, incluindo as áreas que merecem mais atenção por parte de cada país.

Segundo as palavras do Diretor Executivo do Cedefop, Jürgen Siebel: “O Índice Europeu de Competências é uma ferramenta concebida para ajudar a implementação do Pilar Europeu dos Direitos Sociais. Para um sistema de competências eficiente, não só é importante desenvolver as competências de uma forma adequada, mas também garantir uma boa transição da educação para o trabalho, e uma correspondência adequada das competências adquiridas com aquelas que são necessárias no local de trabalho”.

A nova versão inclui 31 países: UE-27, Reino Unido, Islândia, Noruega e Suíça.

O especialista do Cedefop, Ilias Livanos, salienta que “o sistema de competências é um pilar basilar para o crescimento de cada país, uma vez que é um meio para o desenvolvimento e bem-estar dos indivíduos”.

O Cedefop criou o ESI para ajudar os países a observar, numa perspetiva temporal, onde se encontram em relação aos sistemas de competências e em comparação uns com os outros, bem como quais são as áreas que podem ser melhoradas e onde procurar as melhores práticas.

A República Checa tem a pontuação mais alta no ESI de 2020, seguida pela Finlândia, Eslovénia, Luxemburgo e Estónia, entre os cinco primeiros. A Itália é o país com a pontuação mais baixa.

Índice Europeu de Competências 2020

A República Checa tem um total de 77/100, o que significa que, mesmo que tenha o melhor sistema de competências da Europa, ainda tem um longo caminho a percorrer para chegar à perfeição. A República Checa ocupa apenas o 10º e 13º lugar no desenvolvimento e ativação de competências, respetivamente, mas ocupa o primeiro lugar na correspondência de competências. Este exemplo destaca a importância da combinação de competências para alcançar um sistema que funcione bem. A Suécia, que ocupava o terceiro lugar em 2018, em 2020 caiu para o sexto lugar, devido ao pior desempenho na correspondência de competências.

Em geral, parece haver uma melhoria do sistema de competências na UE ao longo do tempo. Em 2020, metade dos países alcançou uma pontuação total acima de 63/100, enquanto em 2018 esse número era de 1 em 4 países. A maioria dos países do sul da Europa e dos Balcãs, com a proeminente exceção da Eslovênia, devem aumentar ainda mais seus esforços, uma vez que se encontram na posição inferior do ranking.

A rede ReferNet do Cedefop prestará assistência adicional em 2020 para monitorizar os progressos e destacar as áreas que precisam de ser melhoradas.

Pode encontrar mais informações sobre o ESI na nota informativa do Cedefop, vídeo promocional, folheto, publicação e no site do Skills Panorama (em inglês).

           Fonte: Traduzido da página do Cedefop, https://www.cedefop.europa.eu/en/news-and-press/news/towards-better-skills-systems-cedefops-2020-european-skills-index-release.

 

Leia aqui informação detalhada sobre a pontuação obtida por Portugal em 2020.